10 de julho de 2013

O maior problema somos nós e não os outros

Mais um post com a terapeuta do blog!! Antes quero dizer que essa semana o blog vai ficar meio desatualizado pois não estou em casa então fica beeem mais difícil de postar com frequência. Agora, vamos ao post...

Essa afirmação significa que o medo que sentimos de falar o que pensamos e recebermos uma crítica, por exemplo, é o medo de nós mesmos. Medo de darmos importância à crítica e deixá-la nos magoar; medo de acreditarmos no que ouvimos; medo de nos maltratarmos; medo de nos acharmos um nada; medo... ; medo... ; medo... .
            Resumindo, o medo do outro é o medo de nós. Do que faremos ao recebermos algo de que não gostaríamos. Caso decidamos ficar incondicionalmente com a nossa verdade, incondicionalmente do nosso lado, SEMPRE, não haverá mais a necessidade de tanto receio, pois o que disserem somente nos atingirá se dermos atenção. E nada que alguém diga pode ter mais valor do que os nossos pensamentos e sentimentos. Discuto muito sobre isso em meu livro.  Assim, tiremos a importância dos outros.  Como demos, podemos tirar também.


Quando não mais nos incomodarmos com a fala alheia, poderemos dizer mais o que queremos. O que seria uma grande conquista, a meu ver, pois a maioria das pessoas tem muita vontade de falar o que pensam e não conseguem. Porém, admiram imensamente quem o faz.
            Também devemos considerar que sempre que há uma vontade grande de nos expressarmos, é o nosso espírito querendo falar, e ao não o seguirmos, perdemos grandes oportunidades, e nos desvalorizamos.
            “Ah, então devo dizer tudo, tudo o que vier à cabeça?”. Como é natural, o bom senso deve fazer parte de nossas vidas. Acostumemo-nos a nos ouvir. Em questões de segundos, percebemos se o que queremos falar deve ou não ser dito. E quando se trata de algo que não podemos deixar passar mesmo, vem de dentro. Observe que vem do peito, pensamos e não temos coragem, aquilo volta para a gente falar, de novo não temos coragem... Se for assim, então, ponha para fora mesmo.
            “Ah, mas e se dissermos uma bobagem, ou alguém discordar da gente, ou ainda se fizermos uma piada de mau gosto, enfim...” Qual é o problema? Tudo isso vai acontecer inúmeras vezes. Costumo brincar que posso falar besteiras umas dez, doze vezes por dia. Você também pode. E a gente vai aprendendo para a próxima vez. E mesmo assim, sempre cometeremos alguns deslizes.
            Novamente voltaremos à mesma questão. Falou qualquer coisa que não deveria, fique do seu lado, sem se preocupar tanto com o que os outros estão achando.


Encontre o Holy Bride / Find us on
O que achou:

5 comentários:

Sara Ferreira Simões disse...

Ótimo post Com certeza muito útil.. Já me senti assim!

Bjusssss

http://chegouaminhavezdecasar.blogspot.com.br/

Isabela Costa disse...

Que texto reflexivo, concordo muito!!


Estou seguindo (:
Beijos :*
http://estudiodasamigas.blogspot.com.br/

Luana Moreira disse...

Linda amei seu blog e jah estou te seguindo :)) adorei mesmo! www.luanamoreiracoutinho.blogspot.com
está convidada a conhecer o meu tb :)

Samira disse...

Nem fazer tudo que vem na cabeça, mas realizar os sonhos ne?
lamourmonage.blogspot.com

Sophie frou disse...

Muito bom o texto, mesmo :)

Tem novo vídeo no canal '' Montando 3 looks '' migre.me/fssRF

Blog: sophiefrou.blogspot.com.br

Beijos Sophie